;

fique por dentro

Quais são o sinais do AVC e quem está sob o risco?

É muito mais comum que o AVC atinja pessoas acima de 50 anos, mas estudos ingleses já comprovaram casos em pessoas com pouco mais de 40 anos.

Alguns sintomas do AVC podem ser:

1. Tontura;

2. Dificuldade para caminhar;

3. Boca torta;

4. Dor de cabeça forte;

5. Fraqueza muscular;

6. Formigamento;

Caso sinta algum desses sintomas, procure atendimento médico imediatamente.

Se a FA existe na sua vida, pense em buscar tratamento e ser fiel a ele. A decisão de viver melhor é sua. Tenha o controle do seu dia em suas mãos

Pense, planeje e organize-se com os horários. Recomece se for preciso, faça tudo que puder para seguir o tratamento corretamente.

Veja algumas dicas:

- Lembre-se das atividades físicas de acordo com a recomendação de seu médico;

- Capriche na alimentação saudável;

- Encontre os amigos, faça cursos que tem vontade;

- Prepare seus lembretes para não esquecer de tomar seu medicamento;

- Vá ao cinema, ao teatro, a concertos;

- Procure ter mais lazer e diversão;

- Confie em si mesmo e nas pessoas ao seu lado.

Não pense que esconder a sua situação das pessoas que você ama vai protegê-las. Acredite que elas podem lidar com isso ao seu lado e de um jeito bem proveitoso. Quem precisa de proteção e de um tratamento adequado é você.

Pense também na possibilidade de procurar outras pessoas que tenham FA. Afinal, conversar com quem passa pela mesma situação costuma ser uma boa ideia.

Cada um partilha sua experiência, dicas, estilos de vida, orientações. Quanto mais você puder lidar com a sua FA com naturalidade, melhor será para a sua qualidade de vida.

Lembre-se:

Tomar corretamente o seu medicamento para a prevenção do AVC é não esquecer de si mesmo!

Bibliografia consultada:

1. Fuster V, Rydn LE, Cannom DS, et al. ACC/AHA/ESC 2006 Guidelines for the management of patients with atrial fibrillation. Circulation 2006; 114:e257-e354.

2. Miyasaka Y, et al. Secular trends in incidence of atrial fibrillation in Olmsted County, Minnesota 1980 to 2000, and implications on the projections for future prevalence. Circulation 2006; 114:119-125.

3. Stewart S, Murphy N, Walker A, et al. Cost of an emerging epidemic: an economic analysis of atrial fibrillation in the UK. Heart 2004; 90:286-92.

4. Information about NICE clinical guideline 36. National Institute for Health and Clinical Excellence. June 2006.

5.Zimmerman L, et al. Diretrizes brasileiras de Fibrilação Atrial 2009.Arq Bras Cardiol 2009; 92(6 supl. 1): 1-39

localize a farmácia mais perto